Dez anos depois do lançamento do hino “Beautiful Life” (que fez parte do álbum “Chromophobia”, lançado pela Kompakt), Gui Boratto pisa forte no acelerador com sua label DOC Records, que está prestes a colocar no mercado vários lançamentos nos próximos dias, seguindo uma sequência bastante regular desde o início das atividades da gravadora. Confira abaixo o que vem por aí:

L_cio –  Chico Buarque Construção Revisited (EP)
Lançamento oficial dia 29/09/2017. Pré-venda liberada aqui. O garoto prodígio da flauta transversal revisita um clássico da música popular brasileira. De 1971, “Construção” foi classificada pela revista Rolling Stone Brasil como a melhor faixa brasileira de todos os tempos.

Leo Janeiro & Gui Boratto – MooDisco (EP)
Lançamento oficial dia 06/10/2017. Pré-venda liberada aqui. “A cópia promo (normalmente enviada antes do lançamento para artistas-chave) captou o interesse de nomes como Maceo Plex, Joris Voorn, Sasha e Danny Tenaglia”, revelou Leo Janeiro.

HNQO – The Old Door (álbum)
Lançamento oficial dia 20/10/2017. Pré-venda liberada aqui. Com a capa inspirada em uma porta, o álbum revela a forte influência que artistas como Stimming e Trentemoller exerceram sobre a identidade de Henrique Oliveira.
hnqo_NEWALBUM

Últimos lançamentos:
L_cio – Vazio (EP – digital) / ouça aqui.
Gabe – Focus (EP – digital) / ouça aqui.
Elekfantz – Blush (EP – digital e vinil) / ouça aqui.

Próximos releases, ainda sem data definida de lançamento:
L_cio – Poema (álbum de estreia)
Elekfantz (novo EP e novo álbum)
IAO (novo EP)
Junior_C (novo EP)
Gui Boratto (novo álbum – prometido para 2018)

Essa remessa de releases chega depois de a gravadora ter feito um bem sucedido showcase durante a ADE (vídeo abaixo) e de ter assinado um dos palcos do Tomorrowland Brasil (vídeo abaixo), dentre outros movimentos importantes no sentido de promover o selo desde sua fundação – como as edições paulistas do DOC Showcase (na The Year e, mais recentemente, no Air Rooftop).

DOC Showcase @ ADE 2015

Mas como dar vazão a tamanha quantidade de lançamentos seguidamente? Segundo o Diretor da DOC, Claudio Silberberg, o trabalho começa com os próprios artistas, que tocam suas tracks em seus shows, além de a gravadora compartilhar as faixas com alguns artistas-chave. “A partir do momento em que entramos com o projeto em produção com a Kompakt (nossos parceiros e distribuidora baseada na Alemanha) damos o start, concentrando em alguns pilares, como lojas de discos (primamos muito pelo formato em vinil), licenciamento, divulgação criativa em redes sociais, disparo para Imprensa e especialmente através do DOC Showcase, onde apresentamos os artistas do selo ao lado do ‘label boss’ Gui Boratto em eventos importantes como Boiler Room, Ressonancia Festival, Tomorrowland, Warung e ADE, dentre outros”, explica o executivo.

Em termos de praça, o trabalho é direcionado aos seguintes países: Brasil, Alemanha, Holanda, Espanha, França, Suécia, Reino Unido, Suíça, Japão, EUA, Áustria, Bélgica e Polônia. “Quando se fala em mercado global o conceito DOC é muito fiel: qualidade acima de quantidade, bom gosto antes das modas de cada ano”, relata Silberberg.

“Acima de tudo, temos cuidado e atenção redobrados na qualidade da produção de cada track, mix, masterização, aprovação de testpress, fábrica escolhida, criação da arte e packaging para entregas internacionais. Mesmo sendo um selo totalmente independente, esta cadeia de produção tem um acompanhamento de profissionais experientes e o timing dessas etapas ‘milestone’ até o release do vinil é também essencial”, conclui.

Quando perguntamos se a venda física tem correspondido às expectativas do selo no mercado internacional, o executivo pontuou: “se bem planejado, com um target dentro da realidade de cada produto, formato, mercado, e claro, fatores como timing, podemos dizer que estamos sendo muito bem correspondidos com nossas expectativas”.

DOC @ Tomorrowland Brasil 2016

Fiel a sua proposta inicial, a gravadora, lançada em 2013 com o single de estreia “Diggin’ On You” (dos Elekfantz) segue privando por manter o formato físico em seu catálogo, bem como o zelo pela busca de um som verdadeiramente autêntico, seje ele puxado para o House, para o Indie ou para o Techno, com artistas nacionais ou estrangeiros.

Atualmente a “família DOC” é composta por Gui Boratto, Elekfantz, Shadow Movement, L_cio, Junior_C, Leo Janeiro, Melon, Mixhell, IAO, Come & Hell, Monolink, AnT, M.A.S., Gabe e HNQO. Em 2016, a compilação “Magnum Vol. I” foi um bom reflexo desse conceito de família, incluindo tracks de boa parte do time e recebendo um excelente retorno da crítica especializada internacional.

Abaixo você confere um bate-papo com o DJ/produtor Leo Janeiro, que faz seu debut no selo com o “MooDisco” EP, que traz a faixa-título em collab com Gui Boratto, a própria “Back In The Days” e o remix de “MooDisco” assinado pelo francês Rodriguez Jr. (super talento revelado por Laurent Garnier).

©2017 Gui Urban


RMC: Como foi o processo de criação do EP?
Leo Janeiro: O processo foi demorado. O Gui (Boratto) tinha me convidado para fazermos algo para o label e as ideias foram pitando aos poucos, até encontrarmos um equilíbrio entre o que cada um gostaria de fazer – daí mais ou menos 1 ano (risos)! Tinha algumas ideias e o Gui também foi ajudando. São duas faixas: “MooDisco” (em parceria com o Gui e “Back In The Days”, que é minha.

RMC: De onde vem o nome “MooDisco”?
Leo Janeiro: O nome acabou aparecendo do nada (risos)! Eu achei interessante, o Gui também e deixamos rolar! O legal deste processo todo é que muito tempo no estúdio faz você ter muitas ideias e pra mim foi um tempo incrível, pois falar de música e afins é um prazer.

RMC: Como foi o envolvimento com o Rodriguez Jr. no EP? De quem partiu o convite para o remix?
Leo Janeiro: O remix começou a ser discutido num papo de sobre quem gostaríamos. Eu sugeri o Rodriguez Jr., um artista que eu gostava muito e além disso um cara muito bacana (já tinha tocado algumas vezes com ele por aqui e foi sempre muito bom). O Gui na hora achou ótima a ideia e fizemos um contato com ele e mandamos a música. Ele curtiu e fez um remix sensacional.

Como bônus, que tal ouvir o set exclusivo de Leo Janeiro para o DOC Sessions? Play abaixo porque vale…